segunda-feira, 20 de maio de 2013

Hidratação 
X
Qual o melhor hidratante para minha pele?






É indiscutível que a água é um dos componentes mais importantes para o adequado funcionamento dos tecidos, né? Afinal, trata-se do principal constituinte das células humanas e está presente em todos os processos fisiológicos e bioquímicos que ocorrem no nosso corpo. Sua participação é indispensável na regulação da temperatura corpórea, na eliminação de toxinas, além de representar cerca de 95% do plasma sanguíneo. Em se tratando de pele, 70% da mesma é formada por água, e a manutenção de um bom estado de hidratação é um requisito fundamental para mantê-la saudável e bonita, e também para minimizar seu envelhecimento. A carência de água  na pele resulta no comprometimento da função de barreira exercida pela mesma e desta forma, aumenta a predisposição para o desenvolvimento de inúmeras patologias. Além disso, a falta de água pode tornar a pele fina, áspera, com perda do viço, opaca e sem elasticidade.
Vale ressaltar que o grau de hidratação da camada córnea (camada mais superficial da epiderme) é decorrente do equilíbrio entre a água fornecida e as perdas por evaporação na atmosfera. Quando o estrato córneo perde água para o ambiente externo, a água da derme é levada para a superfície da pele, no intuito de manter um nível adequado de hidratação. Desta forma, a água presente na camada córnea origina-se da água que ingerimos que é transportada da derme por difusão (origem endógena) e da água adquirida do meio ambiente, de acordo com a umidade relativa do ar ou por meio da aplicação de produtos cosméticos (origem exógena). O problema começa quando a perda de água através da epiderme é muito grande,  a reposição da mesma não é compatível e o resultado é o aparecimento dos sinais de ressecamento. A superfície torna-se áspera ao tato e também um pouco opaca e dependendo do grau de desidratação, pode ocorrer descamação da pele (isso relacionando-se ao estrato córneo). 
A desidratação da derme é mais comum em peles envelhecidas, já que apresentam uma diminuição na quantidade das glicosaminoglicanas (GAG), proteínas sintetizadas pelos fibroblastos, que têm a capacidade de se ligar "as moléculas de água e fixá-las na derme.
Boa parte da água que constitui a pele está aderida às moléculas de GAG presentes na matriz extracelular. Essa água além de transportar nutrientes e participar das trocas metabólicas das células, é responsável pelo bom desempenho das fibras. 
As glicosaminoglicanas apresentam o grupo sulfato em sua molécula, que possuem carga negativa e por isso atraem cargas positivas, entre elas, o sódio, que por sua vez, como todo mundo já sabe, tem a característica de atrair água. É desta forma, que as glicosaminoglicanas conseguem "aprisionar" a água em sua estrutura, formando um "gel amorfo". O sulfato de condroitina, sulfato de queratina e o ácido hialurônico são os principais representantes das glicosaminoglicanas. Entendeu agora porque os cosméticos contendo ácido hialurônico são hidratantes e tendem a atenuar as rugas? Justamente pela sua função de reter água, aumentar a turgidez do tecido e com isso promover o "preenchimento" das mesmas.
Com o envelhecimento, os fibroblastos passam a diminuir a síntese dessas protéinas, e a capacidade de fixação de água na pele torna-se prejudicada. Com menos água na derme, o metabolismo diminui e as rugas intensificam-se, por isso, outra estratégia de hidratação e antienvelhecimento é estimular a síntese de GAG pelos fibroblastos. É por isso que muitos ativos anti-aging que visam aumentar a matriz extracelular, vão promover hidratação profunda da pele.
Basicamente os mecanismos de hidratação são:
1) Hidratação por superfície que por sua vez ocorre por oclusão ou por umectação. Por oclusão: São usadas substâncias lipídicas ou emolientes que formam uma película na superfície da pele, sem obstruir os óstios (poros), reduzindo a evaporação (perda de água transepidérmica). As emulsões a base de óleos vegetais e animais são as mais indicadas! São os principais agentes oclusivos utilizados como ferramenta hidratante para a pele. Ideais para a hidratação corporal e de peles secas e finas. Já por umectação, é a utilização de substâncias com característica higroscópica, ou seja, que tem a propriedade de absorver e reter a umidade do ar (atrair água para sua molécula e consegui retê-la). Um dos umectantes mais usados em hidratantes é a glicerina, também chamada de glicerol. Vale ressaltar, que tais substâncias dependem principalmente de uma boa umidade relativa do ar, e são as preferencialmente escolhidas para peles oleosas e acneicas.

2) Hidratação ativa é a hidratação por meio de mecanismo intracelular, difere da hidratação de superfície, por agir diretamente sobre a camada granular da epiderme em níveis quantitativos, ou seja, são ativos que contêm substâncias semelhantes aquelas contidas no NMF, aumentando quantitativamente o  teor do mesmo.

Uma outra estratégia de hidratação, lançada a pouco tempo no mercado, é a hidratação da pele por aumentar as expressões das aquaporinas. As aquaporinas são canais proteicos existentes na pele, responsáveis pelo transporte de água através da membrana plasmática das células. Com o avanço da idade, o desempenho das aquaporinas diminui e com isso, há uma diminuição do fluxo de água para a epiderme, comprometendo seu metabolismo.
Com tantas opções de hidratantes e ativos no mercado, certamente se passa em nossas cabeças: Qual o melhor ativo hidratante? Qual hidratante devo comprar? Eu acredito que não exista melhor ou pior, na verdade trata-se de adequar a formulação (veículo) ao tipo e necessidade de cada pele. 
Por exemplo, vi em um artigo, uma autora fazendo a seguinte consideração: " Em uma pele jovem, em que a estrutura da derme está preservada e as glicosaminoglicanas estão normais, não faz muito sentido pensar em usar ativos que atuem em profundidade. O mais adequado seria escolher um mix de ativos que ofereça as melhores condições de cuidar do estrato córneo."


Segue abaixo algumas dicas para a escolha dos hidratantes:
Para hidratação corporal: Priorizar as emulsões a base de óleos vegetais e animais e os óleos vegetais: semente de uva, amêndoas, girassol, etc (óleos vegetais ricos em ácidos graxos essenciais).
Para hidratação de peles secas (alípidica): Optar por formulações cosméticas com substâncias emolientes e umectantes e veículos mais pesados como os cremes hidratantes (emulsões A/O, ou seja, que contem maior quantidade de óleo e menos água).
Para hidratação de peles oleosas (lípidica): Optar por formulações leves, emulsões do tipo oil-free (O/A); gel (preferencialmente) ou gel-creme e dar preferência aos ativos hidratantes umectantes.
* As peles mistas: As bases cosméticas devem ser suaves, de preferência, em gel-creme, a fim de não aumentar a oleosidade na Zona T.
Para peles sensível: Deve priorizar o uso de produtos hipoalergênicos, sem fragrância e com um menor número de ativos. Contudo, pode ser associado na formulação ativos de características calmantes e descongestionantes.

Abaixo alguns hidratantes encontrados no mercado. Infelizmente não tive a oportunidade de experimentar todos, apenas alguns deles! Coloquei só para exemplificar e para vocês observarem os rótulos (identificar a base cosmética "apresentação" e os ativos).













E para finalizar....


Beijinhos,
Lane Rasteli






2 comentários:

  1. Bebo muita água. rsrsrrs
    Sempre soube que faz bem a pele, o cabelo...
    Mas é claro, com ajuda de um super creme teremos resultados maravihoso. ;)

    ResponderExcluir